100 anos de precisão Rolex em 28 relógios

Escrito por , 13/07/2015 em Especiais, Rolex com 1 Comentário

Há pouco mais de 100 anos, em 1914, o Observatório Kew, na Grã Bretanha, entregou a certificação cronométrica “Classe A” a um relógio de bolso pela primeira vez. Tratava-se de um Rolex tamanho pequeno, que serviu como um marco para uma geração de precisão para relógios de pulso.

Quem conta esta história é Alexander Linz, do blog Watch-Insider.com. Ele traça uma história por trás deste feito relojoeiro, apresentando a evolução de modelos Oyster que foram criados após a certificação, com imagens de modelos de 1926 a 2014.

Até 15 de julho de 1914, a certificação de “Classe A”, que certificava o maior nível de precisão de relógios, havia sido dada apenas a grandes cronômetros marinhos submetidos a rigorosos testes. Rolex, então, foi a primeira relojoaria a provar que era possível fabricar relógios de pulso tão precisos quanto cronômetros marinhos – algo difícil de acreditar naquele momento.

O primeiro sucesso nesta área obtido pela Rolex veio pouco antes, em 1910, com a certificação cronométrica dada para um pequeno relógio pelo Centro Oficial de Precisão Relojoeira de Bienne, na Suíça.

Primeiro certificado de precisão da Rolex, de 1910

Primeiro certificado de precisão da Rolex, de 1910

Esta prova de performance contribuiria significativamente para o crescimento da popularidade de relógios de pulso. A força desta conquista fez com que a Rolex viesse a ser a maior fabricante de relógios certificados. A marca baseada em Genebra aperfeiçoou o conceito de relógio moderno em 1926, com a invenção dos modelos à prova d’água Oyster, que protegiam o movimento. E, em 1931, com a invenção do movimento “perpetual” de corda automática. Hoje em dia, todos os relógios Oyster Perpetual, da Rolex, contam com certificação cronométrica COSC, carregando a herança de pioneirismo com a alta precisão de seus relógios.

A preza obtida em 15 de julho de 1914 seria uma mudança definitiva nos rumos da relojoaria moderna.

Resultados do Observatório Kew, de 1914

Resultados do Observatório Kew, de 1914

O primeiro cronômetro de pulso não só foi aprovado, como passou com larga vantagem aos critérios do observatório britânico, que sào os mais restritos do mundo: 45 dias de testes, em cinco posições diferentes, a três diferentes temperaturas (gelada, quente e temperatura ambiente). Pela primeira vez na história um relógio de pulso alcançava a precisão de cronômetros marinhos,uma vez que estes instrumentos determinavam a posição de uma embarcação no mar – e não poderiam derivar mais do que alguns segundos por dia sem colocar a segurança de navios a prova.

O pequeno Rolex que conquistou o certificado há mais de 100 anos alcançou uma taxa diária de +1 segundo por dia. Este foi o momento que o relógio de pulso ganhou reconhecimento dos testes do Observatório.

Certificado do Observatório Kew, de 1914

Certificado do Observatório Kew, de 1914

Relógio certificado pelo Observatório Kew, em 2014

Relógio certificado pelo Observatório Kew, em 1914

O homem por trás desta proeza foi o alemão Hans Wilsdorf, fundador da Rolex em 1905. Com a obtenção daquele certificado, Wilsdorf demonstrou que um pequeno relógio de pulso poderia rivalizar com qualquer relógio, incluindo os de bolso – padrão daquela época.

Hans Wilsdorf, fundador da Rolex

Hans Wilsdorf, fundador da Rolex

Naqueles dias do século XX, ninguém havia se preocupado em desenhar um relógio de pulso verdadeiramente preciso. Este tipo de peça nem entrava para a competição, pois contavam com mecanismos bastante pequenos, que não poderiam ser comparados com a precisão e regularidade de grandes relógios de bolso. No entanto, desde o começo de sua carreira, Wilsdorf estava convencido de que relógios de pulso seriam o futuro da indústria. Ele devotou a energia de sua juventude em eliminar todos os pontos de fraqueza de um relógio de pulso e ter como objetivo a precisão absoluta. Empreendedor visionário, Wilsdorf estava convencido de que este era o segredo de ampliar a popularidade e a aceitação de relógios de pulso.

Rolex é, historicamente, uma das lideres em precisão e levou a certificação como uma de suas assinaturas. Nos anos 1950, cerca de 90% dos cronômetros oficialmente certificados na Suíça desde 1927 – ano em que o critério foi introduzido – era Rolex.

Em 1951, a regulamentação mudou e a certificação passou a ser obrigatória, vinda de algum órgão oficial, a Rolex foi ainda mais fundo para estar certa de que seus relógios conseguissem a certificação com a citação “particularly good results” (resultados particularmente bons). Esta distinção deu espaço à famosa frase inscrita no mostrador de modelos Rolex até hoje: “Superlative Chronometer Officially Certified” (certificação cronométrica oficial superlativa). Desde a criação do COSC, em 1973, citações especiais não são mais dadas em certificados. Mas a assinatura dos mostradores é reminiscente do século XX.

Primeiro Rolex Oyster octogonal de 1926

Primeiro Rolex Oyster octogonal de 1926

Primeiro Rolex com caixa em formato almofadado, 1926

Primeiro Rolex com caixa em formato almofadado, 1926

Primeiro Oyster Perpetual, 1926

Primeiro Oyster Perpetual, 1926

Primeiro movimento automático com rotor Perpetual, 1931

Primeiro movimento automático com rotor Perpetual, 1931

Primeiro Rolex Datejust, 1945

Primeiro Rolex Datejust, 1945

Abaixo, Rolex Oyster da década de 1950

Rolex Oyster Perpetual, 1953

Rolex Oyster Perpetual, 1953

O primeiro Rolex Explorer, de 1953

O primeiro Rolex Explorer, de 1953

Primeiro Rolex Submariner, 1953

Primeiro Rolex Submariner, 1953

Primeiro Rolex GMT Master, 1955

Primeiro Rolex GMT Master, 1955

Primeiro Rolex Milgauss, 1956

Primeiro Rolex Milgauss, 1956

Primeiro Rolex Day-Date, 1956

Primeiro Rolex Day-Date, 1956

Veja, abaixo, modelos nos anos 1960 e 1970

Rolex Deep Sea Special, 1960

Rolex Deep Sea Special, 1960

Primeiro Cosmograph Daytona, de 1963

Primeiro Cosmograph Daytona, de 1963

Primeiro Rolex Sea-Dweller, 1967

Primeiro Rolex Sea-Dweller, 1967

Primeiro Rolex Explorer II, 1971

Primeiro Rolex Explorer II, 1971

A seguir, Rolex Oyster apresentados nos anos 1980 e 1990.

Primeiro Rolex GMT-Master II, de 1982

Primeiro Rolex GMT-Master II, de 1982

Primeiro Rolex Yacht-Master, de 1992

Primeiro Rolex Yacht-Master, de 1992

Primeiro Rolex Lady-Datejust Pearlmaster, 1992

Primeiro Rolex Lady-Datejust Pearlmaster, 1992

Abaixo, lançamentos da marca a partir dos anos 2000

Rolex Cosmograph Daytona com novo calibre 4130, de 2000

Rolex Cosmograph Daytona com novo calibre 4130, de 2000

Rolex Yacht-Master II, 2007

Rolex Yacht-Master II, 2007

Primeiro Rolex Day-Date II, de 2008

Primeiro Rolex Day-Date II, de 2008

Rolex Deepsea, 2008

Rolex Deepsea, 2008

Rolex Datejust II, 2009

Rolex Datejust II, 2009

Abaixo, Rolex Oyster apresentados recentemente nas feiras de Baselworld

Rolex Sky-Dweller, de 2012

Rolex Sky-Dweller, de 2012

Rolex GMT-Master II, de 2013

Rolex GMT-Master II, de 2013

Rolex Milgauss, de 2014

Rolex Milgauss, de 2014

Rolex GMT Master II, 2014

Rolex GMT Master II, 2014

Rolex Sea-Dweller 4000, 2014

Rolex Sea-Dweller 4000, 2014

 
 

Tags: Rolex Cosmograph DaytonaRolex DatejustRolex Datejust IIRolex Day-DateRolex Day-Date IIRolex Deep Sea SpecialRolex DeepseaRolex ExplorerRolex Explorer IIRolex GMT MasterRolex GMT-Master IIRolex Lady-Datejust PearlmasterRolex MilgaussRolex OysterRolex Oyster PerpetualRolex Sea-DwellerRolex Sea-Dweller 4000Rolex Sky-DwellerRolex SubmarinerRolex Yacht-MasterRolex Yacht-Master II

Compartilhar artigo:
 
 

Relógios relacionados


Rolex
Lady-Datejust

Rolex
Oyster Perpetual Explorer 1016...

Rolex
Air-King

Rolex
Oyster Superlative Chronometer...

Rolex
Day-Date

Rolex
Lady-Datejust

Rolex
Oyster Perpetual Datejust

Rolex
Oyster Cosmograph

 
 

Newsletter

Cadastre-se aqui e receba uma vez por semana gratuitamente a newsletter do WatchTime Brasil com as melhores notícias, avaliações, recursos e atualizações sobre relógios diretamente da equipe WatchTime Brasil.

Siga o WatchTime Brasil

Assinar via Feed RSS Seguir no Instagram Seguir no Pinterest Seguir no Google Plus Participar do nosso grupo no LinkedIn Seguir no YouTube

1 Comentário

URL Trackback RSS Feed Comentários

  1. Sylvio F. Bertoli disse:

    Excelente artigo! Este é para guardar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário pelo Facebook

Comentário(s) no Facebook